A saúde ocupacional vai tornar sua empresa mais lucrativa

Tempo de leitura: 14 minutos

A saúde ocupacional vai tornar sua empresa mais lucrativa

Muito tem se falado em saúde ocupacional, principalmente quando se fala em legislação trabalhista, que obriga as empresas a cumprir algumas normas relacionadas à saúde e segurança no trabalho. Contudo, saúde ocupacional vai muito além de um exame admissional e demissional, trata-se também da implementação de uma “cultura de saúde” eficiente nas organizações, o que melhora o desempenho da força de trabalho.

Você, provavelmente, já ouviu muitas vezes aquele velho clichê de que a “saúde é o segundo item mais caro na folha de pagamento das empresas, perdendo apenas para o salário”. No entanto, os gestores devem parar de enxergar a saúde do trabalhador como mais um custo e passar a considerá-la um investimento, que pode trazer muitos lucros e bons indicadores. Além disso, é preciso considerar o capital humano como o mais valioso para a empresa.

De acordo com um estudo realizado pela consultoria Aon, com 54 mil funcionários de 52 empresas no Brasil, mais da metade dos colaboradores (52%) estão acima do peso, sendo o sedentarismo a principal causa. Considerando que a obesidade é fator de risco para diversas doenças, esse dado é extremamente alarmante, pois afeta diretamente a produtividade de uma empresa e, consequentemente, eleva os custos operacionais, com assistência médica, absenteísmo, turnover e uma série de outros fatores.

Dessa forma, na medida em que a população envelhece e com o aumento das condições crônicas e fatores de risco para doenças, surgem novas necessidades de investimentos para a prevenção de doenças ocupacionais.

Neste artigo, você vai entender a importância da saúde ocupacional para as empresas e como ela está envolvida diretamente no sucesso do seu negócio!

O que é saúde ocupacional?

Saúde Ocupacional é um setor da ampla área da saúde, responsável pela saúde laboral, ou seja, a saúde voltada para o trabalhador. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, ela não se trata, somente, de exames para admissão e demissão dos funcionários. Essa é apenas uma de suas inúmeras funções.

O objetivo principal da saúde ocupacional é a prevenção de doenças, principalmente aquelas que podem ser adquiridas no ambiente de trabalho. Além disso, a saúde ocupacional visa a qualidade de vida do trabalhador, levando em consideração o seu bem-estar físico e psicológico, proporcionando um ambiente de trabalho propício para que possa desempenhar suas funções de forma efetiva.

Saúde e segurança no trabalho

Podemos dizer que a saúde e segurança no trabalho são os dois braços da saúde ocupacional. As duas frentes atuam diretamente nas condições de trabalho do colaborador, com um objetivo em comum: a proteção e a promoção da saúde e bem-estar no ambiente corporativo.

De forma resumida, a segurança no trabalho trata-se das medidas que devem ser adotadas para se preservar o bem-estar do trabalhador e preservar sua integridade de possíveis acidentes no ambiente laboral, como o uso de equipamentos de segurança e melhorias no ambiente físico de trabalho. Dessa forma, podemos dizer que a segurança do trabalho possui caráter unicamente preventivo.

A saúde no trabalho, por sua vez, está relacionada às possíveis doenças ocupacionais, ou seja doenças que o colaborador pode adquirir de acordo com a função exercida, priorizando a preservação da qualidade de vida do trabalhador, considerando sua saúde física, mental e social.

Apesar de possuírem dinâmicas diferentes, tanto a segurança, como a saúde no trabalho, são reguladas pelas Normas do Ministério do Trabalho. Qualquer empresa, seja ela pública ou privada, que possua trabalhadores contratados sob o regime da CLT, devem seguir as normas regulamentadoras (NR) relacionadas à segurança e medicina do trabalho, dentre as quais destacamos a PPRA e o PCMSO.

PPRA

O PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) é um programa obrigatório em todas as empresas, estabelecido pela NR9. O programa deve ser elaborado pela empresa e deve estabelecer uma metodologia de ação, a fim de garantir a preservação da saúde e integridade dos trabalhadores em meio aos riscos físicos, químicos ou biológicos presentes no ambiente de trabalho.

O desenvolvimento do PPRA deve seguir as seguintes etapas:

  1. Antecipação e conhecimento dos riscos;
  2. Estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle;
  3. Avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores;
  4. Implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia;
  5. Monitoramento da exposição dos riscos;
  6. Registro e divulgação dos dados.

Geralmente, a elaboração do programa é realizada por profissionais especializados, como técnico de segurança, engenheiro de segurança ou médicos do trabalho.

PCMSO

O PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), estabelecido pela NR07, é parte de um conjunto amplo de iniciativas para a promoção e preservação da saúde dos trabalhadores.

As obrigatoriedades do programa incluem exames ocupacionais, tais como: admissionais, periódicos, no retorno ao trabalho, em caso de mudança de função e demissional. Além disso, devem ser implementadas medidas para prevenir, monitorar, controlar e detectar riscos de possíveis danos à saúde do empregado no ambiente laboral.

Conheça os principais benefícios da saúde ocupacional

Não há dúvidas de que a saúde ocupacional é extremamente vantajosa para os colaboradores. Afinal, quem não quer trabalhar em um ambiente seguro e saudável? No entanto, os benefícios também se estendem aos empresários e gestores, que ganham em produtividade.

Confira algumas das inúmeras vantagens de investir em saúde ocupacional:

1. Melhora a produtividade no trabalho

Saúde Ocupacional pode tornar sua empresa mais lucrativa
Saúde Ocupacional pode tornar sua empresa mais lucrativa

Ao passo que a empresa demonstra comprometimento com a saúde do trabalhador e oferece um ambiente sadio e adequado para as suas funções, certamente o colaborador se vê mais motivado para desempenhar suas funções, o que, por sua vez, gera mais produtividade. Além disso, o sentimento de ser acolhido pela empresa gera maior satisfação por parte do colaborador, o incentivando a “vestir a camisa” da empresa.

A medicina do trabalho oferece, não só qualidade de vida e segurança aos funcionários, mas também proporciona a tranquilidade de estar em um ambiente favorável à saúde. O resultado é maior disposição e motivação da equipe, maior rendimento e menor incidência de faltas ao trabalho.

2. Reduz custos

Saúde ocupacional reduz custos

O caráter preventivo da segurança e saúde ocupacional, possibilita a redução de custos com afastamentos, rotatividade de funcionários e ações judiciais relacionadas à acidentes e doenças ocupacionais. Além disso, é possível reduzir custos do plano de saúde, já que funcionários saudáveis utilizam menos procedimentos de alto custo, o que reduz os níveis de sinistralidade.

3. Gera retorno para a imagem da empresa

Saúde ocupacional gera retorno para a imagem da empresa

A empresa que apresenta um posicionamento consciente em relação à saúde de seus colaboradores garante uma maior credibilidade corporativa e realiza uma demonstração de sua responsabilidade social. Essa credibilidade é extremamente valiosa, tanto para o cliente interno (colaboradores) como para o externo.

4. Atrai e fideliza talentos

Saúde ocupacional atrai e fideliza talentos

Em um mercado extremamente competitivo, um dos maiores desafios dos gestores de RH é atrair novos talentos e reter a mão de obra qualificada. A saúde ocupacional, quando implantada de forma efetiva, representa um grande papel na retenção e atração de novos talentos, visto que um funcionário que se sente acolhido pela empresa dificilmente teria interesse de substituí-la. O mesmo ocorre com novos talentos, que se sentem atraídos em trabalhar em um ambiente propício para sua saúde física e emocional.

5. Reduz o absenteísmo

No ano passado, de acordo com dados preliminares disponibilizados pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), foram concedidos 196.754 benefícios a trabalhadores que precisaram ser afastados das atividades profissionais por mais de 15 dias, por problemas relacionados à saúde laboral. A média de afastamentos foi de 539 por dia.

Fraturas e lesões nas mãos, pés e joelhos, dores nas costas e coluna são as principais causas de afastamento do trabalho relacionado à atividades laborais, segundo o mesmo levantamento. Os dados são alarmantes, visto que boa parte desses problemas poderiam ser evitados, com a ajuda da saúde ocupacional, pois o seu caráter preventivo  é responsável por evitar boa parte das doenças ocupacionais.

6. Evita o presenteísmo

Saúde ocupacional evita o presenteísmo

Você já se deparou com um funcionário ou colega de trabalho que, até possui boa assiduidade, mas está presente só fisicamente?  Esse é o principal sintoma do presenteísmo.

Ao contrário do absenteísmo, caracterizado pela ausência física, o presenteísmo trata-se da ausência mental e pode trazer conflitos para o empregado e para a equipe da qual ele faz parte. As causas do presenteísmo são inúmeras, tanto de caráter pessoal como profissional, mas a empresa pode fazer o seu papel para evitar esse comportamento, mostrando que se importa e valoriza a saúde do colaborador.

7. Reduz o índice de sinistralidade do plano de saúde

Saúde ocupacional reduz o índice de sinistralidade do plano de saúde

Para reduzir o custo do plano de saúde, não basta apenas adotar medidas de contenção, como a redução de rede credenciada. Essa medida só irá impactar negativamente no clima organizacional.

Quando a empresa acompanha de perto a saúde do colaborador e ele se sente motivado a realizar os exames preventivos e dar maior atenção à própria saúde, automaticamente o índice de sinistralidade do plano de saúde será menor, já que serão realizados menos procedimentos de maior complexidade como cirurgias e internações.

Sugestão de imagem: uma imagem para item

Como criar uma cultura de saúde na empresa?

Como dito anteriormente, todo colaborador é peça fundamental para o bom desempenho de um negócio e, muita empresas têm percebido que investir na saúde do trabalhador oferece vantagens significativas.

Contudo, não basta apenas seguir o que é estipulado nas normas trabalhistas. As empresas são compostas por pessoas, com comportamentos, estilos de vida e condições de saúde diversos. Dessa forma, é preciso saber enxergar como anda a saúde na sua empresa e realizar uma gestão de saúde eficiente, que beneficie o colaborador a longo prazo, de acordo com a sua rotina de trabalho, doenças preexistentes e estilo de vida. Além disso, a empresa deve se preocupar com o bem-estar do funcionário dentro e fora do ambiente de trabalho.

Está convencido? Deseja implantar uma cultura de saúde na sua empresa? Então listamos algumas dicas para dar os primeiros passos:

Dê atenção à ergonomia

Atenção à Ergonomia

Como vimos anteriormente, os problemas de saúde que mais causam afastamentos do trabalho estão relacionados à má postura e a chamada LER (Lesões por Esforços Repetitivos). Esses problemas podem ser evitados ao dar uma atenção especial à ergonomia no ambiente de trabalho.

As condições gerais do posto de trabalho, considerando a iluminação, mobiliário, ruídos, temperatura e postura do trabalhador, devem ser avaliadas, a fim de evitar a diminuição da produtividade e a queda do bem-estar dos trabalhadores.

Realize campanhas de promoção à saúde

Implemente campanhas de saúde

Sua empresa possui um alto número de funcionários acima do peso? E diabéticos? E quanto aos tabagistas? Você possui esses dados?

Se não tem ideia de como anda a saúde dos seus colaboradores está na hora de mudar esse cenário. Campanhas contra a obesidade, tabagismo, diabetes, entre outras, são muito bem aceitas pelos colaboradores e podem ser realizadas com frequência pelas empresas, não apenas durante a SIPAT.

Uma boa estratégia é aproveitar datas temáticas como Outubro Rosa e Novembro Azul para promover palestras, discussões e encontros sobre os temas, sendo uma forma eficaz de incentivar o autocuidado e mostrar que a empresa está preocupada com a saúde dos colaboradores.

Envolva a liderança

A liderança é de fundamental importância para o resultado da saúde ocupacional

Um bom líder é aquele que inspira sua equipe a ir na direção certa. Dessa forma, é essencial o envolvimento da equipe de liderança nas ações de promoção à saúde, a fim de aumentar a adesão dos colaboradores e consolidar o posicionamento e a responsabilidade social da empresa.

Escolha uma boa estratégia de comunicação

Implemente um planejamento de comunicação para o plano funcionamento da saúde ocupacional

Não adianta investir esforços para implementar uma série de ações de promoção à saúde na empresa, sem investir em uma comunicação efetiva. Utilize uma linguagem mais informal, interativa e envolvente  para atrair e manter o interesse dos funcionários na adoção de um estilo de vida saudável.

Incentive hábitos saudáveis

Hábitos saudáveis para a saúde ocupacional

Esse pode ser, talvez, o item mais importante desta lista. Engana-se quem pensa que o papel da empresa restringe-se em promover a saúde apenas no ambiente corporativo. É preciso se preocupar com a saúde do trabalhador também fora das dependências da empresa.

Muitas pessoas passam mais tempo no trabalho que em sua própria casa. Com isso, as empresas possuem papel fundamental no incentivo de bons hábitos. É importante investir em ações voltadas à promoção da saúde e qualidade de vida.

Para começar, que tal incentivar a adoção de hábitos saudáveis relacionados à atividade física, alimentação e bem-estar psicológico? Vale a pena investir em alternativas no próprio ambiente de trabalho, tais como: salas de descompressão, oferta de frutas e lanches naturais, convênios com academias e restaurantes de alimentação saudável e ginástica laboral. Esses benefícios costumam aumentar a sensação de bem-estar dos colaboradores e os incentiva a mudar hábitos prejudiciais à saúde.

Leia nosso eBook: Ginástica Laboral: atividade física no ambiente de trabalho

Sugestão de imagem: uma imagem para item

Portanto, não há dúvidas de que a saúde ocupacional é um mecanismo que contribui, efetivamente, para uma melhor qualidade de vida e o bem-estar dos trabalhadores, beneficiando também, a produtividade da mão de obra nas empresas.

O que sua empresa tem feito para promover a saúde dos colaboradores? Compartilhe sua opinião conosco!

Leita também: Como a saúde mental da sua equipe pode impactar a produtividade?

O Grupo São Bernardo Saúde entende a importância de promover a saúde e qualidade de vida no ambiente de trabalho. Por esse motivo, temos o compromisso de promover ações de promoção da saúde, incentivando o autocuidado e disseminando informações que contribuem para a prevenção de doenças. Converse agora mesmo com um de nossos especialistas em saúde!

Comentários