Como o estresse afeta a produtividade da sua equipe

Tempo de leitura: 17 minutos

Como o estresse afeta a produtividade da sua equipe

Estamos expostos diariamente à situações que causam estresse e, no ambiente de trabalho, essas situações possuem uma dimensão ainda maior. É um círculo vicioso: a busca por mais produtividade gera estresse e o estresse, por sua vez, gera menos produtividade.

Demandas urgentes, prazos cada vez mais curtos e a pressão por bons resultados são uma constante no ambiente corporativo. E isso, somado aos problemas pessoais e familiares, pode ser um agravante para a perda de produtividade e redução da motivação do colaborador.

Recentemente, um tweet, que viralizou na internet, reacendeu as discussões sobre a importância de gestores garantirem um ambiente de trabalho saudável ao colaborador, não somente no ponto de vista físico.

A programadora Madalyn Parker compartilhou com seus seguidores no Twitter uma troca de e-mails com seu chefe, no qual explicava que não seria possível ir ao trabalho, pois precisava cuidar de sua saúde mental. O e-mail, traduzido para o português, dizia o seguinte:

“Oi, equipe, estarei fora hoje e amanhã para focar em minha saúde mental. Espero estar de volta na próxima semana 100% renovada. Obrigada”.

No entanto, Madalyn não esperava uma resposta tão compreensiva de seu chefe, Ben Congleton, CEO da Olark.

A resposta de Ben foi a seguinte:

“Oi, Madalyn, apenas gostaria de te agradecer pessoalmente por enviar um e-mail como este. Toda vez que você faz isso, eu me lembro da importância de usar dias de folga para a saúde mental – e eu não posso acreditar que isso não é recorrente em outras empresas. Você é um exemplo para todos nós, e ajuda a quebrar o estigma para todos nós darmos o nosso melhor no trabalho.”

estresse
estresse

A resposta de Ben à necessidade de sua funcionária abriu uma discussão importante na internet, visto que o ato compreensivo do gestor, é extremamente raro no ambiente corporativo, onde são priorizados resultados e lucro.

Continue com a gente nesse post e descubra como o estresse no trabalho pode afetar a produtividade dos colaboradores e quais mudanças podem trazer resultados positivos para o ambiente corporativo. 

Leia também: 7 motivos pelos quais a saúde ocupacional vai tornar sua empresa mais lucrativa

O papel da empresa na saúde mental do trabalhador

Passamos boa parte do nosso tempo no ambiente de trabalho, inclusive, vemos mais os colegas de trabalho que os próprios integrantes de nossa família. Isso explica por que o ambiente corporativo possui tanta influência sob o nosso bem-estar geral.

Portanto, já que o trabalhador dedica seu tempo e esforços para o crescimento da organização, nada mais justo que a empresa ofereça condições favoráveis de trabalho a ele. Nessa perspectiva, a estimulação do bem-estar  e redução do estresse no trabalho é fundamental.

Dra. Carlleti fala sobre saúde mental
Dra. Líniver Carletti fala sobre saúde mental

A psicóloga Líniver Carletti, credenciada do São Bernardo Saúde e especialista em Saúde Mental, acredita que as empresas têm investido esforços na preocupação da garantia da saúde física do trabalhador, por meio da prevenção de acidentes de trabalho e a realização de exames médicos periódicos, por exemplo. Contudo, ela tem percebido que ainda falta uma preocupação no âmbito da saúde mental.

“Saúde mental não é apenas ter ausência de doenças, mas sim um estado completo de bem-estar físico, mental e social. Vejo que as organizações têm oferecido pouco para manter uma saúde mental adequada aos seus colaboradores. Percebo também que a saúde psicológica só é lembrada em momentos de SIPAT ou no dia mundial da saúde mental. O investimento nessa área deveria ser o mais importante, além da garantia física do mesmo, pois isso interfere consideravelmente na capacidade de produção e na motivação de um indivíduo dentro de seu ambiente de trabalho. Hoje em meu consultório tenho recebido muitos pacientes com problemas relacionados ao trabalho, desencadeando doenças psicossomáticas”, adverte a especialista.

A psicóloga clínica Lívia Maulaz, também credenciada do São Bernardo Saúde, explica que o ambiente de trabalho é potencialmente estressante, podendo levar os indivíduos a estados de exaustão e, até mesmo, acarretar em quadros mais graves, como depressão.

No caso de um trabalho remunerado, nós temos fatores como ambiente de trabalho, salário, desempenho e medo de ser demitido, como variáveis que demandam muito de qualquer pessoa em situação de estresse”.

A especialista também explica que as preocupações externas, como problemas pessoais, também devem ser levadas em consideração e podem diminuir o desempenho do funcionário, comprometendo todo o ambiente que o cerca.

“Os fatores externos como a vida pessoal do colaborador e a situação atual do país, como a alta taxa de desemprego e demissões, também são fatores determinantes para o estresse ocupacional. Já que essa influência vai existir de qualquer maneira, é preciso que exista um trabalho por parte da empresa/empregador, no propósito de promoção da saúde mental no ambiente de trabalho”.

Os erros de uma gestão de pessoas ultrapassada

Os erros de uma gestão de pessoas ultrapassada
Os erros de uma gestão de pessoas ultrapassada

Muitas empresas ainda enxergam a saúde do colaborador como um custo ou uma obrigatoriedade imposta pelo Ministério do Trabalho. Contudo, os gestores devem entender que promover iniciativas para a promoção da saúde física e mental no local de trabalho oferece benefícios que possibilitam o aumento de produtividade.

Um ambiente de trabalho negativo, onde os colaboradores se sentem frustrados, sem perspectivas de crescimento, exauridos mentalmente e em uma má relação com os colegas de trabalho,  pode levar a problemas de saúde física e mental. Por outro lado, pessoas menos estressadas não só são mais produtivas, como têm menos desejo de mudar de emprego e ainda possuem maior assiduidade, algo que impacta positivamente na redução da rotatividade e absenteísmo.

Você já parou pra pensar que aquela típica imagem do chefe odiado por todos está sempre associada a um gestor estressado, que não sabe liderar sem pressionar? Nesse caso, o estresse não está associado somente a alta demanda de trabalho, mas sim em uma gestão de pessoas equivocada. Dessa forma, adotar práticas de saúde e bem-estar no ambiente de trabalho pode ser benéfico para ambos os lados: gestores que podem liderar de forma mais leve e fluída e empregados que podem desempenhar suas funções em um ambiente mais sadio.

Dra. Livia Maulaz fala sobre os aspectos de uma gestão eficiente

A psicóloga Lívia Maulaz enfatiza que o gestor precisa conhecer o profissional que está sob sua supervisão e entender que se trata de um ser humano antes de ser um profissional.  

“Creio que o principal erro cometido pelo empregador é a “vista grossa”. Com a prioridade focada no desempenho e produção, o empregador passa a ignorar aspectos da vida do empregado, que são fundamentais para sua produção. É preciso que exista, por parte do empregador, interesse pela vida do empregado, isso implica em dar devida importância à sua saúde emocional. O empregador precisa entender sua importância nesses aspectos, e movimentar-se no sentido de proporcionar um ambiente de trabalho mais saudável, e isto implica em investir em uma agenda que promova esse bem-estar”, completa a especialista.

De acordo com a OMS, a organização do trabalho, a submissão a chefias autoritárias, o assédio moral, o aumento no ritmo de trabalho e a exigência crescente de produtividade são fatores que podem afetar a saúde mental dos trabalhadores. Além disso, outros fatores também devem ser avaliados, tais como:

  • Ameaça de desemprego;
  • Tipo de trabalho exercido, que vai contra as expectativas do colaborador;
  • Ambiente organizacional negativo;
  • Má gestão de pessoas;
  • Políticas inadequadas de saúde e segurança;
  • Falta de comunicação;
  • Participação limitada na tomada de decisões por parte dos funcionários;
  • Jornadas de trabalho inflexíveis;
  • Baixa autonomia sobre uma área de trabalho;
  • Falta de clareza na determinação das tarefas ou de objetivos organizacionais.

Problemas de saúde mental que impactam a produtividade

estresse - problemas que atrapalham a produtividade
estresse – problemas que atrapalham a produtividade

Segundo o último Boletim Benefícios por Incapacidade, divulgado pelo governo federal, nos últimos quatro anos, os transtornos mentais e comportamentais foram a terceira maior causa de afastamento dos trabalhadores brasileiros. Problemas como ansiedade e depressão entram na lista como causas de afastamento e baixa produtividade no ambiente de trabalho e o estresse excessivo tem sido o gatilho para o surgimento desses problemas.

A psicóloga Líniver Carletti esclarece que um ambiente profissional negativo pode estar relacionado a diversos problemas de saúde, tanto física como mental, como por exemplo, problemas cardíacos, úlceras, gastrites, doenças inflamatórias, problemas dermatológicos, dificuldades com o peso e problemas sexuais, entre outras doenças fisiológicas.

“Ocorre também o enfraquecimento das restrições de ordem moral e emocional, desencadeando a depressão, ansiedade, sensação de desamparo, baixa autoestima, falta de criatividade e vontade de inovar e, principalmente, a produção da síndrome de Burnout (recorrente em profissionais que exercem suas atividades em alto nível de estresse, provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes)”, completa.

Estresse ocupacional

O que é estresse?

O estresse é uma resposta natural do organismo a estímulos do ambiente, sendo essencial para ativar o nosso mecanismo de alerta, nos auxiliando na concentração e atenção ao que acontece ao nosso redor.

Contudo, em níveis elevados, o estresse é extremamente prejudicial à nossa saúde, reduzindo a nossa produtividade e favorecendo o surgimento de doenças físicas e psicológicas, como a ansiedade e depressão. Isso ocorre porque os altos níveis de cortisol, hormônio liberado devido ao estresse, enfraquece a resposta do nosso organismo, o que causa a exaustão.

O estresse já é considerado uma doença ocupacional, devido aos seus efeitos na produtividade e concentração no trabalho, sendo responsável, inclusive por afastamento das atividades, o que causa, consequentemente, danos financeiros à empresa.

Identificando os sinais do estresse ocupacional

sinais do estresse ocupacional
sinais do estresse ocupacional

Geralmente, o estresse não possui uma única causa, podendo estar relacionado à problemas da vida pessoal e profissional do empregado. Dessa forma, cabe a empresa e seus gestores, estarem atentos aos sinais de um colaborador com um possível transtorno psicológico.

Para a psicóloga Líniver Carletti, lidar com transtornos emocionais é extremamente desafiador, já que, geralmente, esses transtornos apresentam sintomas silenciosos. Contudo, a especialista salienta que é extremamente importante  que os gestores fiquem atentos a alguns aspectos do comportamento de cada colaborador e, percebendo esses comportamentos, é preciso incentivá-lo a procurar auxílio médico.

Veja alguns comportamentos que podem indicar um alto grau de estresse no trabalho:

  • Dificuldade de concentração e memorização;
  • Dificuldades de cumprir tarefas de trabalho;
  • Mudanças constantes de humor (raiva, impaciência, nervosismo);
  • Isolamento e baixa autoestima;
  • Desorganização e procrastinação recorrentes;
  • Respostas ríspidas ou displicentes a demandas ou feedbacks;
  • Atrasos e faltas injustificadas recorrentes;
  • Queixas sobre dores musculares, dores de cabeça, dificuldade para dormir e cansaço excessivo.

A psicóloga enfatiza que existem vários fatores que podem desencadear as doenças mentais dentro do trabalho, tais como: autoritarismo do chefe, ambiente ruim, insatisfação pessoal, a falta de perspectiva de crescimento no trabalho, sobrecarga de trabalho e o desgaste com as relações interpessoais e que todos esses fatores devem ser observados com atenção pelos gestores.

7 Dicas para aliviar o estresse no ambiente de trabalho

Dicas para aliviar o estresse
Dicas para aliviar o estresse

De acordo com a OMS, saúde mental é um

“estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade”.

Para isso, o colaborador deve estar inserido em um ambiente de trabalho positivo e saudável, no qual trabalhadores e gestores atuem em sinergia para promover saúde, segurança e bem-estar no ambiente corporativo.

Dessa forma, implementar estratégias e ações capazes de promover o bem-estar no trabalho devem ser consideradas prioridades para a organização.

“Hoje existem vários programas com intuito de melhorar a qualidade de vida do trabalhador, além da utilização do profissional psicólogo dentro desse espaço. Mas, para que isso aconteça, a preocupação com a saúde mental do funcionário deve fazer parte da cultura organizacional da empresa”, explica a psicóloga Líniver Carletti.

A especialista Lívia Maulaz concorda sobre a importância de implementar nas empresas ações de promoção da saúde mental e prevenção do estresse no trabalho.

“Essas ações devem ser promovidas com seriedade e compromisso, em uma programação focada em desenvolvimento de atividades de bem-estar, reflexões sobre saúde mental e melhora da dinâmica de trabalho, comunicação entre empregador e colaborador e relações interpessoais no trabalho. Um dos principais objetivos é que se promova um ambiente seguro e saudável para o empregado”.

Como vimos, a participação da empresa é essencial na manutenção da saúde mental e qualidade de vida dos colaboradores. Veja, a seguir, algumas dicas de como aliviar o estresse no trabalho e promover o bem-estar dos funcionários:

1. Incentive bons hábitos

Estresse - Incentive hábitos saudáveis
Estresse – Incentive hábitos saudáveis

Para manter os funcionários engajados e motivados é essencial reforçar, sempre que possível, a preocupação e compromisso da organização com a saúde e bem-estar dos colaboradores. Para isso, incentivar hábitos saudáveis pode ser uma excelente estratégia. Que tal incluir, na rotina da empresa, programas para incentivo de atividades físicas e alimentação saudável, salas para descanso e relaxamento e até ginástica laboral, que podem aliviar o estresse da rotina de trabalho?

Leia também: Atividade física é arma eficaz contra o estresse

2. Crie um ambiente de trabalho agradável

Oferecer um ambiente agradável e acolhedor é um dos pré-requisitos para manter funcionários produtivos e reduzir o estresse no trabalho. Evite pressões psicológicas e cobranças sem sentido. A pressão e cobrança são aceitáveis, desde que façam o funcionário sair de sua zona de conforto. Contudo, quando se torna excessiva, pode prejudicar o bem-estar do colaborador e impactar o seu desempenho.

3. Acompanhe os níveis de satisfação da equipe

estresse - satisfação da equipe
estresse – satisfação da equipe

A melhor maneira de mensurar como anda a saúde mental da equipe é por meio do diálogo. Saber ouvir o seu colaborador é extremamente importante para estreitar o relacionamento e mostrar interesse por sua opinião.. Que tal aplicar, frequentemente, pesquisas de satisfação aos colaboradores? Nessas pesquisas, é possível avaliar a satisfação do funcionário em diversos setores da empresa, inclusive em relação ao seu bem-estar, clima organizacional e suas relações com colegas, clientes e gestores.

4. Valorize o tempo de descanso

estresse - tempo de descanso
tempo de descanso

É impossível nos mantermos produtivos quando nos encontramos exaustos e, ao contrário do que muitos pensam, o cansaço mental é tão desgastante quanto o físico. Invista em ambientes de descanso na empresa, como salas de descompressão ou áreas verdes. Além de deixar os funcionários mais relaxados, esses locais facilitam a interação entre os colaboradores, o que também melhora o clima organizacional.

5. Crie um ambiente participativo

Favoreça um ambiente participativo
Favoreça um ambiente participativo

Muitas empresa pecam em não dar a devida atenção às ideias e opiniões dos funcionários, que se sentem desmotivados pela falta de autonomia e reconhecimento. Para evitar esses problemas, invista em uma Gestão Participativa e deixe claro que toda a equipe é responsável pelos resultados e que deve participar de todos os processos.

6. Incentive o desenvolvimento pessoal e profissional

Incentive o desenvolvimento pessoal e profissional
Incentive o desenvolvimento pessoal e profissional

Você já reservou um tempo para ouvir seus colaboradores e entender suas expectativas e perspectivas para o futuro? Esse tipo de ação é importante para estreitar a relação com sua equipe e, inclusive, facilitar as ações estratégicas da empresa, como mudanças de cargo ou promoções, a fim de agregar valor à empresa.

7. Melhore a comunicação interna

Melhore a comunicação interna
Melhore a comunicação interna

A comunicação assertiva é um dos pilares para um bom ambiente de trabalho. É muito comum que problemas surjam devido à ruídos na comunicação ou palavras mal interpretadas. Uma boa comunicação interna evita desgastes desnecessários e mantém os objetivos e expectativas da empresa e funcionários alinhados. Crie uma cultura de proximidade entre os colaboradores e estabeleça um canal de comunicação aberto e acessível.

O que achou das dicas? Sua empresa investe em estratégias para promover o bem-estar dos funcionários? Divida suas experiências com a gente nos comentários!

Agora que você já sabe como oferecer um ambiente agradável e livre do estresse, aproveite para baixar o  eBook gratuito Ginástica Laboral – Atividade física no ambiente de trabalho de forma leve e descontraída >>>> Link para e-book

Parte fundamental do cuidado com os colaboradores é oferecer um bom plano de saúde empresarial para ajudar no tratamento e prevenção do estresse, muito comum no ambiente de trabalho.

Profissionais auxiliados por esse benefício se recuperam melhor e mais rapidamente, além de permanecerem mais produtivos e motivados. Sua empresa já tem um plano de saúde empresarial? Fale conosco e solicite agora mesmo uma vista de um especialista. >>> Link para chat online

Comentários